A nova era da Gestão Ágil

Virou moda: as empresas mais moderninhas estão criando áreas internas chamadas de “descompressão”, que são áreas decoradas especialmente para descontrair seus funcionários. Eles colocam puffs, vídeo games, mesa de sinuca, e em algumas tem até escorregador e cerveja a vontade. Para uns, uma super iniciativa para o bem estar do colaborador, para outros parece mais estratégia de marketing para atrair novos talentos.

Vamos ao exemplo da Google, famosa por exibir áreas como essa, que figurou durante anos em primeiro lugar entre as melhores empresas para se trabalhar. No entanto, estatísticas mostram que a própria Google também sofreu com um dos maiores turnovers de funcionários durante muitos anos. Como explicar  uma empresa que é uma das melhores para se trabalhar, é justamente a empresa  onde as pessoas mais pedem demissão? Nos faz pensar que essas empresas na verdade não precisam de uma área de “descompressão”, elas precisam é eliminar a pressão!

O problema da retenção

A verdade é que as empresas tradicionais já não sabem mais o que fazer para reter seus funcionários. A nova geração, chamada de Millennials, que são pessoas nascidas entre a década de 80 e 2000, estão chegando no mercado de trabalho já com uma nova maneira de pensar e agir. São jovens conectados, rápidos, criativos e empreendedores. E não podemos ignorá-los: segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), até 2025 os Millennials representarão 75% da força de trabalho.

Para piorar a situação das empresas e gestores atuais, está acontecendo um boom de startups no Brasil (e no mundo). Nunca foi tão fácil empreender como hoje. Eu mesmo fui recentemente em um evento de empreendedorismo em que mais de 50 participantes tinham como desafio criar suas próprias startups (fazendo pesquisa de mercado, validando a idéia, criando o produto/serviço e site/app e já realizando as primeiras vendas) em um final de semana! E deu certo! Ao final do domingo eu estava apresentando a minha startup que eu criei em 2 dias para uma banca de jurados e investidores (e com 28 intenções de compra!).

Essa nova geração está cada vez mais saindo de empresas tradicionais para trabalharem para alguma startup ou abrirem suas próprias startups. Por que? As startups sabem que o modelo atual, burocrático, lento, hierárquico já não sobrevive mais. As startups são perfeitas para os jovens da geração Y e Z, pois através delas eles podem manifestar o seu propósito e deixar uma pegada no mundo. Esses jovens estão buscando muito mais que um salário no final do mês, eles buscam autonomia, satisfação, propósito e desenvolvimento. É aí que a coisa fica complicada. Os gestores atuais, que são de outra geração, a geração da estabilidade, do comando e controle, do “manda quem pode e obedece quem tem juízo”, não está conseguindo lidar com essas diferenças.

Agora vamos fazer uma conta simples: uma pesquisa recente aponta que dois terços dos graduandos já veem empreendedorismo como opção de carreira. Como já dito, esses jovens representarão 75% da força de trabalho até 2025. Isso significa uma evazão de 50% da força de trabalho dentro das empresas, ou em outras palavras, jovens que vão pedir demissão para empreender, e isso já está acontecendo hoje.

Os empregos como conhecemos hoje estão prestes a mudar para sempre. A previsão é do Fórum Econômico Mundial, no relatório Futuro do Trabalho: 65% das crianças que estão começando o primário devem trabalhar em empregos que ainda não existem. O estudo diz que em 15 economias avaliadas, até 2020 o número de empregos perdidos devido a avanços tecnológicos e a fatores socioeconômicos pode chegar a 7,1 milhões.

Nunca antes na história da humanidade essas mudanças aconteceram de forma tão acelerada. A sociedade atual vive uma das maiores transformações que qualquer geração já precisou enfrentar. Se a liderança atual não se reinventar, dentro de alguns anos empresas tradicionais simplesmente deixarão de existir.

E como o líder pode ajudar a resolver isso?

O Líder 4.0 é aquele que vai conseguir trazer pra dentro das empresas tradicionais tudo aquilo que os jovens buscam dentro de uma startup e trabalhar muito conceitos como management 3.0, learning 3.0, design thinking, master mind, lean e agile (culturalmente falando).

Não dá mais para achar que colocando puff e vídeo game em uma empresa culturalmente atrasada vai resolver o problema complexo que enfrentamos atualmente. É necessária uma mudança cultural profunda no modo como a liderança pensa e age!

Quer ser um líder melhor? Entre para o Clube do Líder. Aproveite. É Grátis.

Conteúdos Relacionados

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome aqui

Últimos conteúdos

A nova era da Gestão Ágil

Virou moda: as empresas mais moderninhas estão criando áreas internas chamadas de “descompressão”, que são áreas decoradas especialmente para descontrair seus funcionários. Eles colocam...

Lifelong Learning: O segredo para você se manter no mercado

Lifelong Learning significa aprendizagem contínua e diante das mudanças que estamos vivendo é um conceito fundamental para quem quer ser e continuar sendo relevante...

O que é feedback? Qual sua importância e os principais tipos?

Feedback é uma palavra de origem inglesa que significa dar resposta a algo ou alguém. Também pode significar a própria resposta ou reação, por...

Categorias